Arquivo do mês: março 2010

Um café com realidade, por favor.

Eu não gosto muito de descrições, pois, convenhamos que é no mínimo difícil tentar definir o que não é estático. Então, eu poderia falar aqui de toda a dinamicidade que isso envolve, do quanto, as vezes, sinto-me aprisionada em meus próprios conceitos e valores e que por causa disso eles são confrontados e revistos. Eu poderia falar sobre as dúvidas, sobre dias que não sei mais no que e em quem acreditar e defender ou em dias em que ergo minha cabeça e grito e ninguém consegue ouvir. Em dias em que faço, mas não é bom e suficiente, em que tento, mas não o bastante para conseguir ou até em um dia, especificamente, em que fiz e senti todas essas coisas. Eu poderia expor aqui todos os sentimentos tortos, mas, envoltos de verdade, os medos reprimidos e dores que perturbam. Mas digamos que isso seria um tanto quanto repetitivo, pois, isso também faz parte de você, faz parte do SER humano e que por isso já podemos até chamar de ‘nosso’. Ah, e falando em ser humano, eu poderia falar sobre todas as palavras e atitudes contraditórias, da complexidade ou também dos sentimentos bons. Das opiniões, dos princípios ou da falta destes. Das palavras desconexas e com sentimento, das palavras articuladas e vazias ou até da mistura delas. Eu poderia falar das atitudes sem sentido ou das atitudes planejadas e que apesar disso, há arrependimento. Eu poderia falar sobre mudança, momentos, sorrisos, sonhos, amizade. Eu poderia falar sobre a vida e o quanto a enxergo diferente de você ou que viver, para mim, é uma revira-volta, uma eterna aventura que perpassa sonhos e realizações/decepções e também das reinvenções resultantes disso! Eu poderia falar sobre tantas coisas enquanto tomamos xícaras de café. Você gosta de café? E isso seria uma boa oportunidade para te ouvir também. Talvez tenhamos tempo para isso.

Anúncios

, simples assim.

Emotiva, daquelas que choram com tudo. Calma, a vida a tem ensinado ser forte.

Para ela no mundo basta ter apenas MISTURA de cores, tons suaves e vibrantes, formando mais que colorido.

Entrelaçada com emoções, amigos e boa música.

Quando sorrir, o faz com a alma. E quando o faz toca a alma de alguém.

Tem amor dentro de si, pulsando e a trazendo vida.

No seu abraço tem verdade.

E na sua declaração: “Eu te amo”… o coração. Os dois no mesmo ritmo, sem descompassos.

Contenta-se com o suficiente, que muitas vezes parece ser pouco, mas, é por que sempre se coloca no lugar do outro.

Nela também se encontram valores. Não sei se bons, se ruins, se piores ou se melhores, mas, ela acredita e luta por eles.

Cheia de defeitos e limitações. Mas, o que chama a atenção é a veemência que ela usa para superá-los.

Ama o diferente, o incomum.

Gosta de falar, mas, também gosta de ouvir, de entender, na mesma intensidade.

Gosta de fazer as próprias escolhas.

Decidiu ser respeitada, capaz, feliz, sorrisos espontâneos e sinceros.

Movimento, dinamismo, danças e peças de teatro.

É surpreendente como sempre decide olhar pra frente e sonhar mais uma vez.

Formada por sonhos, simples assim.